LIVROS DE YOUTUBERS, JOUTJOUT E ROMERO BRITTO | A Redoma de Livros



Livros de colorir, livros de youtubers, “Destrua Esse Diário” da Keri Smith e mais um monte de livro do tipo. Eles “roubam” o espaço da literatura. Hmmm… será? Não é bem assim. E livros de YouTubers? O da Jout Jout, pelo menos, tá maravilhoso!

✏ Blog: https://catarticos.com.br/doce
✏ Instagram: https://instagram.com/clarissawolff
✏ Snapchat: clarissawolff
✏ Twitter: https://twitter.com/clarissawolff

A REDOMA DE LIVROS

source

9 Replies to “LIVROS DE YOUTUBERS, JOUTJOUT E ROMERO BRITTO | A Redoma de Livros”

  1. descobri seu canal esses dias e adorei seus vídeos <3 me senti extremamente contemplada sobre a sua ponderação acerca dos livros de youtubers, e acho que se aplica também aos livros julgados como "literatura ruim" por serem best-sellers. eu acho que qualquer leitura é válida, nem que seja revista de cosméticos. num país em que as pessoas lêem tão pouco, é tão elitista cobrar essa cultura erudita sabe? não existe valorização sequer de autores da literatura marginal, o João Antônio, por exemplo, foi reeditado há pucos anos. e outra, não é como se as pessoas deixassem de comprar Balzac pra ler Kefera. mas pessoas que nunca comprariam um livro sequer podem tomar gosto pela leitura através do livro dela. vejo muito isso na minha área (história): os historiadores sempre criticam o sucesso de jornalistas escrevendo sobre história, sucesso que raramente vem para historiadores. e eu fico pensando: até que ponto os historiadores se preocupam em escrever de maneira mais simples (digo, sem ser aquela escrita cheira de firulas) para um público maior do que os 10 colegas da academia? é esse elitismo disfarçado de erudição e "qualidade literária". pra mim, ler ajuda tanto a pensar, a escrever, a falar melhor, e se torna um hábito tão profundo que, quando você deixa de ler, parece que tá faltando algo na vida. por isso, ler qualquer coisa é válido. de novo, seu canal é ótimo! beijo!

  2. Eu acho que estamos passando por um período repleto de questões a serem discutidas. De fato, ninguém começa a ler um livro pelo mais complicado. Isso requer muita vivência pessoal e literária. E as pessoas ganham essa maturidade em diferentes idades. E aí isso vai depender do suporte familiar, educacional e até mesmo das amizades.
    Semana que vem até a Malena vai lançar livro, livro de auto-ajuda pra adolescente ou pré-adolescente. E, okay fazer isso.
    O que me preocupa são os conteúdos e a influência que esses jovens em formação vão adquirir.
    Eu li o livro da Jout Jout e não vi nada diferente do conteúdo que ela coloca gratuitamente no canal dela. E, alguns textos foram extremamente dispensáveis, como o do pum. Outra coisa que me incomodou, foi a forma como ela se expressou sobre o diploma. Por mais que tenham me dito que a Jout não quis ser negativa quanto a uma educação superior ou desvalorizando uma faculdade, achei que ela escolheu um jeito muito inadequado para falar sobre isso.
    Outra coisa, biografia ainda aos 20 e poucos anos pra quê? Não sei, acho um tanto quanto petulante falar sobre si, como se tão novo já tivesse passado por um milhão de coisas, quando passou apenas pelas coisas comuns. Exceto, é claro, pessoas que tiveram uma doença e passaram por ela, ou quem tem uma doença que não tem cura e quer mostrar os detalhes que deixamos de perceber. Mas, por favor, não condeno quem lê e gosta. Como você mesma disse, e eu concordo, as pessoas precisam come;car a gostar da leitura de alguma forma.
    Outro medo que tenho, é que por mais que estejamos conectados, sobretudo os jovens, é muito fácil escolher um único assunto e ficar por muito tempo só em uma única coisa. E eu as vezes penso que esses mesmos jovens ficarão por tempo indeterminado nas leituras rasas por justamente serem fáceis, sem nada questionar. E uma coisa que notei, sobretudo quando a Tati Feltrin falou sobre livros de youtubers e nas discussões que eu e outras pessoas abrimos, é que assustadoramente esses jovens não sabem argumentar. Não sabem criar sentenças mostrando porque gostam tanto do livro da Jout. Uma única menina foi capaz de ter argumentos fortes – a que me explicou sobre o texto do diploma – e eu fiquei contente. E por mais idiota que seja esse meu ponto, argumentar só se consegue com conhecimento, com leituras, com novas visões de mundo que outros tipos de livros oferecem. Como eu disse, meu medo são essas pessoas não saírem da facilidade.
    Mas olha, eu gostei do seu ponto de vista, sobretudo quando você mencionou livros de colorir que servem apenas pra colorir, nada mais. E eles não roubam nada. Eles apenas servem pra entreter. Assim como livros de youtubers que servem pra diversão.

  3. Você tem que vontade de lançar algum livro? Mas acha que por ser youtuber vai ter um certo preconceito? Beijos seus vídeos são ótimos, vc fala super bem!Ps: Fui sua 122 inscrita haha daqui a pouco vai estar com mais de milhão. Sucesso pra vc!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *